Esquadrão Relâmpago: CHANGEMAN!

Sem dúvida um dos melhores super-sentais desde sempre. Tão super, que na época que assistia nem sabia que existia esse termo para se referir a esse tipo de seriado japonês. Antes de mais nada, convém avisar que o texto pode conter spoiler, caso – até hoje – você não tenha assistido.

Dengeki Sentai Changeman, título original, foi exibido originalmente entre fevereiro de 1985 á fevereiro de 1986, no Japão, contando com 55 episódios, naquele padrão de 30 minutos, mas na real tinha apenas 20. Aqui no Brasil, foi exibido pela extinta TV Manchete, lá por 1988. Bons tempos que as manhãs semanais eram destinadas as produções nipônicas, em disputa de audiêcia com o “Xou da Xuxa”. A tarde era “Mara Maravilha” e o programa da “Angélica”.

Os Defensores da Terra é um grupo de proteção da Terra, chefiado pelo sargento Ibuki, como se fossem uma força militar, que prepara um pelotão caso o planeta sofra uma invasão alienígena. Contudo, logo no 1º episódio, conhecemos o comandante Giluke, encarregado da nave Gozma e seu grupo de vilões, composto pelo pirata espacial Booba, a assistente Shiima (sim, era aquela mulher que tinha voz de homem), o alienígena Gaata e o memorável – e divertido – Gyodai. Recebendo ordens diretamente do senhor Bazoo, o qual já havia dominado divesos planetas da galáxia, e agora seria a vez do planeta Terra.

Comandante Giluke, Booba, Shiima, Gaata e Gyodai.

A nave Gôzma e o senhor Bazoo.

Durante esse primeiro ataque, sabendo do perigo, das profundezas do planeta emana a chamada “força terrena”, que quando a humanidade se encontra em perigo, ela se manifesta para criar o Esquadrão Relâmpago: Changeman. É, pode soar tudo muito… absurdo, mas quem liga para isso? Alguns super-sentais já foram compostos por trios, o Changeman eram – e sempre foram – cinco integrantes, sem nenhum 6º especial que surgia do nada, sendo eles: Hiryu Tsurugi/Change Dragon (vermelho), Sho Hayate/Change Gryphon (preto), Yuma Ozora/Change Pegasus (azul), Sayaka Nagisa/Change Mermaid (branca) e Change Mai Tsubasa/Change Phoenix (rosa).

Change Dragon, Change Gryphon, Change Pegasus, Change Mermaid e Change Phoenix.

Mai, Sayaka, Tsurugi, Ozora e Hayate.

A trama dos episódios, após assistir alguns, você pega o fio da meada. No início, algum monstro espacial chega na nave do comandante Giluke, e se apresenta. Segue para Terra, faz um tumulto até a chegada dos Changeman, a criatura normalmente vence eles, por que dai tem que ter a sequência de superação, eles voltam – após os intervalos – para um novo confronto, normalmente se tinha alguma trapaça mostram a verdade, se transformam, enfrentam os soldados Hidrer, enfretam o monstro e daí… ah, daí fica legal, usam a Poderosa Bazuca! Convém dizer, que o Change Dragon, na dublagem brasileira, grita “Poderosa Bazuca”, eles combinam as 5 peças, e quando montada todos falam “Power Bazuca”. Mas que seja… Dentroem o monstro e surge, então, o Gyodai, o bicho que só fala o próprio nome, e lança um raio de expansão que torna o monstro derrotado em gigante. O.O Acudam!

As Bazucas de cada Changeman.

As peças combinadas formavam a Poderosa Bazuca.

Como bons heróis, decola do QG dos Defensores da Terra a Base Shuttle, que transporta os últimos veículos de ataque dos Changeman, que são o Jet Changer 1 – pilotado pelo Change Dragon; Heli Changer 2 – pilotado por Change Gryphon e a Change Mermaid; e Land Changer 3 – pilotado por Change Pegasus e Change Phoenix. E ao realizarem a conversão terrestre, os 3 veículos convertem suas formas e se unem para se transformarem no poderoso Change-Robô. \o/ Que também tem um roteirinho basico da luta, que engraçado que na minha infância achava esse momento o apíce dos episódios, imaginava sempre que a luta durava quase metade dele, mas não levam pouco mais de 1 minuto e meio, dando tempo dele usar o Change Vulcão (tiros de canhões nos ombros), Change Míssel (2 foguetes que são lançados do abdomen), o e para finalizar a Espada Relâmpago (que em episódios mais para frente tem o Giro Atômico) e o golpe final “Super Thunderbolt”.

Base Shuttle.

Jet Changer 1 (avião), Heli Changer 2 (helicóptero) e Land Changer 3 (tanque).

“Fusão: conversão terrestre!”

Change-Robô.

Os episódios de Changeman, cada um acaba tendo seu foco centrado em algum dos 5 integrantes, que sempre giram em torno de superação, amizado, paixões. É uma sequência muito boa, apesar que acho ela muito dramática, vários episódios são tristes, assim como boa parte das músicas da sua trilha sonora. Essa é um capítulo a parte, as composições e performances de Tatsumi Yano misturam muitas guitarras, trompetes, baterias, sendo muito divertidas de serem ouvidas.

Cenas dos episódios: 12 (Mermaid se torna Mãe), 06 (Cuidado Meninas de Virgem), 30 (Avante, Pegasus!), 28 (A Maldição Sangrenta).

Cenas dos episódios: 41 (O Príncipe das Estrelas), 20 (A Revanche de Giluke), 22 (A prisioneira do Espelho), 07 (O Enviado do Planeta Atlanta).

Cenas dos episódios: 38 (O Espectro do Beisebol), 06 (Cuidado Meninas de Virgem), 23 (O menino e o golfinho), 26 (O Toque da Primavera).

Ao longo dos episódios, os Changeman acabam encontrando aliados, como Nana, que é uma garota emana uma vez na vida a Aura Energética, que aquele que se banhar nela tera poderes ilimitados, e esse era o plano de Giluke, contudo, quem acaba se favorecendo é a antiga companheira do comandante, a rainha Ahames, que se chega a dar muito trabalho ao Esquadrão Relâmpago. Além da garota, também conhecem Sakurá, que mostrasse ser um anjo para trazer a paz no universo com ajuda do Talismã Merilliano, e acaba sendo uma paixão platônica de Hayate. Sakurá se despede dos Changeman no final do episódio, e volta a aparecer apenas no último, para ajudar na viagem espacial deles. Ainda, acabam conhecendo a família do vilão Gaata, que pede para salvarem ele visto que o seu filho queria que o pai voltasse pra casa. Dentre muitos outros que tiveram suas participações isoladas.

As duas versões da rainha Ahames.

Nana, Sakura, e família Gaata – Zôle, Wallage e a bebê Cooler.

Kiki e Koko, Talismã Merilliano e Ayra – A Menina Arco-Íris.

Um dos meus favoritos, dentre tantos a se comentar, é o 24, “A Fuga de Gyodai”, que é divertido pacas. Esse personagem que tem sua participação limitada a menos de 1 minuto de aparição, resolve fugir de casa e causar muita confusão na Terra. Ao decorrer do capítulo, Tsurugi percebe que o alienígena se sente triste por não ter amigos de sua espécie, então todos os 5 se disfarçam de Gyodais para recuperarem um missel que ele havia engolido e poderia explodir. Ilário e muito tocante, além do fato de mostrar algo como eles dormindo na nave enquanto não atacam. Algo que as vezes no universo de heróis e vilões não pensamos, quando eles descansam, almoçam, tem momentos do dia a dia, hehe.

Outra sequência boa foi a morte do comandante Giluke, que numa manobra de Ahames, ele não consegue se banhar na aura energética de Nana, e resolve liquidar com as próprias mãos os Changeman, porém acaba perdendo a batalha e sendo jogado no cemitério espacial pelo próprio senhor Bazoo. Desse modo, Ahames acaba assumindo o controle da nave Gozma e liderando o grupo. Ao longo da trama, com a segunda aparição de Zôle, a esposa de Gaata, ele acaba traíndo a rainha para ficar com sua família. Nessa altura da série, Giluke já havia retornado do mundo dos mortos, e se tornado o Super Giluke – pois realizara um ritual para forçar Nana a emanar por uma 2ª vez a aura energética, tornando extremamente poderoso – e no início do episódio 53 (antes mesmo do título aparecer), acho que uma das sequências mais teatrais, por assim dizer, Ahames esta na ponte da nave, com Gyodai dormindo (pra variar), e fala: “O pirata espacial Booba morreu… Shiima e Gaata me traíram… E agora estou aqui, sozinha.” Nesse mesmo episódio, encerra-se a participação da vilã na série, pois ela acaba morrendo em delírios enquanto destruía o QG do Esquadrão Relâmpago. Além de descobrirmos que o sargente Ibuki também é um alíengena de um planeta que fôra dizimado pelo Império Gozma, e se refugiou na Terra.

Cenas dos episódios: 43 (Super Giluke), 52 (A Morte de Booba) e 53 (A Vingança de Ahames).

Changeman é um seriado que ao seu final percebemos que os vilões principais na verdade também eram vítimas do senhor Bazoo e acabaram entrando nessa luta para sobreviverem, e no momento que tiveram a oportunidade de mudar isso aproveitaram. A própria Ahames, durante sua queda fala que apenas queria voltar para sua estrela natal, porém não tendo mais chance para isso. A aventura toda se encerra, quando encontram o Planeta Gozma, mas acabam descobrindo que ele todo é o próprio senhor Bazoo que ia aumentando sua massa corporal conforme ia destruíndo os povos de outros planetas conquistados. Numa manobra com ajuda de Talismã Meriliano, a Poderosa Bazuca, Gyodai e por fim, do Change Robô, destroem o senhor Bazoo e salvam a Terra. No final, o sargento Ibuki leva na Base Shuttle todos os alienígenas que estavam com os Changeman, de volta ao espaço para retornarem às suas estrelas natais. Essa sequência é bem tocante não apenas pela despedida em si daqueles que acompanhamos a tragetória nessa guerra, mas por eles mostrarem flashes das perdas, principalmente, que tiveram ao longo dos episódios.

Enfim, dúvido que venha a assistir todos os 36 super-sentais que existem, visto que esse ano estréia o Tokumei Sentai GO-BUSTERS (que terá haver com fantasmas pelo que andei lendo, mas não acompanhei mais notícias), tenho acompanhado Kaizou Sentai GOKAIGER (que é um grupo de piratas e faz homenagem a todos os anteriores, ainda farei uma review para falar melhor), acabei assistindo Choushinsei FLASHMAN que veio depois de Changeman, um pouco de Hikari Sentai MASKMAN e Dai Sentai GOGGLE V, mas não curti muito ambos e comecei a assistir Tokusou Sentai DEKARANGER.

Toys bacanas que nunca por aqui, infelizmente.

Bom, o que posso dizer é que Changeman ficará sendo sempre o favorito, o bacana é ver hoje, que todos aqueles cenários de estúdios, locações repetidas para as batalhas (na verdade, como estavam na mesma cidade, não tinha porque não passarem por alguns lugares mais de uma vez), que mesmo com aqueles “(d)efeitos” especiais, tinha um roteiro divertido, mesmo os momentos tristes, suas músicas marcantes, a boa dublagem da época, enfim, algo que nenhum Power Ranger conseguira fazer para ter minha simpátia. Espero que quem tiver a oportunidade de assistir aproveite também tanto quanto eu, sendo que hoje você encontra em DVD, aqui no Brasil, a série completa.

Por hora é isso, ateh! o/

Follow these topics: Blog

Tags: , ,

4 falando sobre “Esquadrão Relâmpago: CHANGEMAN!”

  1. Paulo Aquino disse:

    Véi, sensacional esta matéria! Bacana rever aqui a série que, ao lado de Jaspion, marcou minha infância, assim como Cavaleiros do Zodíaco marcou minha adolescência!

    Talvez graças à saudosa Manchete, procurei saber mais coisas sobre a franquia Super Sentai. Sei não só que há séries que nunca passaram no Brasil (nem sequer como Power Rangers), há até séries anteriores ao meu nascimento (sou de 1980).

    Até pouco tempo atrás tenho visto algumas séries que AINDA não viraram Power Rangers. Aliás, às vezes quando pesquiso coisas sobre Super Sentai e/ou Power Rangers, vejo tambem comparações entre um e outro.

  2. WRegis disse:

    Que bom que curtiu, Paulo!
    Realmente, bons tempos de TV Manchete. Eu tenho acompanhado a mais recente, Kazou Sentai Gokaiger. Recomendo. Quando finalizar pretendo fazer uma resenha também. Por falta de tempo ainda não consegui acompanhar outras, mas tenho vontade também, mas as originais e não Power Rangers, também.
    Valews ae! o/

  3. Anderson Butilheiro disse:

    Cara, Changeman abriu o leque de produtos japoneses nas telas da TV brasileira. Tá cerco que rolou National Kid, Ultraman e etc, mas nenhuma foi tão popular quanto essa. E a TV Manchete realmente tinha esse compromisso de divertir a criançada, né? Sei lá, uns 70% da programação dos caras era destinado ao público infantil.

    Lembro com carinho de Black Kamen Rider (que depois virou Kamen Rider Black RX), Jaspion, Jiban, Jiraya, Changeman, Flashman, Solbrain, Winspector e depois começou a onda animè com Saint Seiya, Yu Yu Hakusho, Shurato e o fabuloso Super Campeões (Captain Tsubasa).

    Bons tempos, bons desenhos, diversão garantida com produções que pra época eram espetaculares.

    Enfim, conhece o site http://redemanchete.net? É um site feito por fãs da programação da Manchete, uma espécie de Wikipédia do canal, com bastante informação sobre a TV e etc. Foi bem saudoso entrar por lá na época e rever muita coisa… Fica a dica aí!

  4. WRegis disse:

    Cara, conhecia esse site não, muito bom! Valews a dica! =D
    E realmente, o foco da TV Manchete atendia muito bem ao público infantil. _o/

Deixe seu comentário

What is 2 + 10 ?
Please leave these two fields as-is: